História

Perde-se no tempo a origem dos Florados de Lagoa, doces conventuais do concelho de Lagoa (Algarve). A sua composição, à base de açúcar, amêndoa e fios de ovos é um legado da cozinha tradicional algarvia, alicerçada nos milenares hábitos mediterrânicos e na fusão de sabores da alimentação árabe com a doçaria conventual.

Em Lagoa, a presença de religiosas recolhidas no Convento de São José, desde o século XVII, estará na génese de um conjunto de receitas de doces registadas no concelho, entre os quais os agora conhecidos “Florados de Lagoa”.
Nos finais do século XIX, a Congregação das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, cuja fundadora foi Teresa de Saldanha, instala-se no Convento de S. José, onde ainda subsistiam algumas das freiras Carmelitas. Na correspondência trocada entre as madres superioras do colégio de Lagoa e a Madre Teresa de Saldanha, que se encontrava em Benfica – Lisboa, é retratado o seu dia-à-dia no convento, as atividades, o ensino, as visitas pastorais, a ajuda das Sras. mais abastadas da Vila, inclusivamente, o fato das irmãs confecionarem bolos, a pedido das ditas senhoras mais ricas da então Vila de Lagoa sempre que recebiam visitas em suas casas.
A receita surge mais tarde integrada na 1ª edição d’O Livro de Pantagruel, da autoria de Bertha Rosa Limpo, publicado pela primeira vez em 1946, considerado uma das maiores obras da culinária escrita na língua portuguesa, sob a designação “Floradas”.

Se inicialmente podemos não entender qual a relação de Bertha Rosa Limpo, cantora lírica e senhora da alta sociedade lisboeta, com este doce conventual tão característico do nosso território, mas ao mesmo tempo tão secreto, rapidamente descobrimos que Bertha nascida em Quelimane (Moçambique - 1894), é filha de pai alentejano e mãe algarvia. Ela própria afirmou, em resposta a uma leitora da Revista M&B (n.º 1778, 06-03-1946), na qual era colunista: “quanto aos queijinhos de amêndoa agradeço a lição que me quer dar quando eu for ao Algarve, a doce província onde nasceu minha mãe e onde vivi desde os dois meses até aos cinco anos de idade! Já vê que conheço bem o Algarve, onde tenho voltado algumas vezes, e os seus deliciosos doces, cujas receitas me foram dadas por velhas tias, grandes doceiras.” (Informação retirada do artigo: Braga, I., Castro, I. (2013). Saberes e Fazeres de Berta Rosa Limpo. A Construção de Êxito: o Livro de Pantagruel. FACES DE EVA, N.º 29, Edições Colibri / Universidade Nova de Lisboa (2013):45-66).

Nas últimas décadas, a confeção dos Florados caiu em desuso e no esquecimento de muitos, e gerações mais recentes perderam completa referência à existência deste doce. Por outro lado, a D. Cremilde, doceira conceituada do nosso concelho, mantendo o legado da família desde a sua avó, é prova viva desta existência. Transmitiu-nos que se lembra dos florados, e que segundo a mesma era considerado uma iguaria/guloseima, que não sendo um bolo que se confecionasse com regularidade estava destinado a momentos festivos, casamentos, batizados. Relatou-nos, inclusive, alguns locais onde se vendiam, tais como, uma pastelaria em Portimão cujo dono era de Lagoa.

A recuperação deste património gastronómico de Lagoa e do Algarve, através do registo e da transmissão da arte de bem fazer doçaria, concorre para o conhecimento e preservação da cultura imaterial lagoense, que o Município deseja reavivar e promover, uma verdadeira marca identitária da pastelaria tradicional algarvia.

 

Ingredientes

Já provou os Florados de Lagoa?

Inspirados nas exuberante amendoeiras em flor, os Florados de Lagoa nasceram no Convento de S. José, em Lagoa, pelas mãos de freiras Carmelitas e irmãs Dominicanas.

Um doce que durante séculos esteve no segredo do Convento e que á luz dos dias de hoje é nos revelado através de sábias doceiras regionais, com a promessa de uma viagem pelos nossos sabores

 

Ingredientes:

  • Açúcar
  • Amêndoa
  • Ovos
  • Canela
  • e Dedicação!

 

Aprecie este delicado e doce Segredo Conventual.

 

Onde comprar

  • Pastelaria Algarve (Lagoa);
  • Pastelaria Fabrica Velha (Carvoeiro);
  • Pastelaria Crocante (Parchal);
  • Pastelaria Helydoce (Lagoa);
  • Pastelaria Quente Quentinho (Ferragudo). 

 

Onde provar

  • Hotel Tivoli Carvoeiro
  • Glamour Lagoa Hotel
  • Boutique Hotel & Wine - Casa Bela Moura
  • Restaurante Charneco
  • Restaurante o Ciclo