O Município de Lagoa apresentou, publicamente, na passada sexta-feira, no auditório do Centro Cultural Convento de S. José, em Lagoa, o projeto arquitetónico, artístico e museográfico da Casa da Cidadania de Lagoa, numa sessão que contou com a presença da Diretora regional de Cultura do Algarve, Adriana Freire Nogueira.

O Município de Lagoa, apresentou publicamente o projeto que irá transformar as instalações do edifício dos antigos Paços do Concelho, onde está instalado o Salão Nobre, naquele que foi o primeiro edifício onde funcionou a Câmara Municipal, numa casa dedicada aos movimentos sociais. Trata-se de um projeto de cariz museológico que irá focar-se essencialmente na história político-administrativa de Lagoa, evidenciando valores como a Liberdade, a Democracia, a Igualdade e a Participação Proactiva da população.

Trata-se de um projeto ambicioso, diferenciador e que reflete a estratégia assumida pelos gestores políticos do território, num Município de Lagoa que se tem vindo a afirmar no contexto regional e nacional, evidenciando-se não só a sua história como também a sua identidade, na solidificação de uma consciência de comunidade.

A ideia surgiu durante o ano de 2018 e desde então tem vindo a desenvolver-se através de vários estudos, num processo conduzido pelo antropólogo Paulo Lima, contado com a participação de vários investigadores e arquitetos, tais como o Nelson Marques (Chefe da Divisão de Planeamento Estratégico da Câmara Municipal de Lagoa), Bruno Serrão (Red Umbrella), para o Projeto de reabilitação dos antigos Paços do Concelho de Lagoa, com José Teixeira (Escultor e Mestre Medalhista), para o Projeto artístico para a Casa da Cidadania de Lagoa, com Paulo Passos (Napperon), Projeto museográfico da Casa da Cidadania de Lagoa e com Fernando Cabral (Sistemas do Futuro) para o desenvolvimento da plataforma digital casadacidadania.pt.

A poucos meses de completar 250 anos de história, enquanto território autónomo, Lagoa apresenta um projeto que recorda muitas pessoas que nasceram no concelho, que contribuíram para o seu desenvolvimento, pondo muitas vezes o bem comum acima de si próprio, lutando por um presente e um futuro melhor, dando a possibilidade de sabermos mais sobre o seu contributo na construção do concelho, tal como o conhecemos. É um projeto que permite recordar e passar esse legado às novas gerações.

“A Casa da Cidadania é um projeto que pretende evidenciar a construção de um território autónomo como o de Lagoa, a sua história e identidade. É sem duvida um projeto diferenciador que vem reconhecer
o papel de todos na construção do nosso concelho”, afirmou Luís Encarnação, Presidente da Câmara Municipal de Lagoa.