Lagoa celebrou o Dia Nacional das Coletividades, no dia 31 de maio, com um encontro no Centro Cultural Convento de S. José que reuniu mais de 20 associações locais, a que se juntaram representantes institucionais, tais como a Diretora Regional da Cultura, Adriana Freire, o Chefe Regional dos Escutas, Luís Cabrita, o Presidente da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto, Augusto Flor e a representante da Libertrium, Paula Rodrigues, entidade que implementou com a autarquia a plataforma do Associativismo.

“Um Olhar Sobre o Futuro” foi o mote dado pelo Município de Lagoa, para que, em conjunto com as associações locais e entidades presentes, houvesse uma reflexão sobre o trabalho do associativismo no concelho, acerca daquilo que já se pratica, de como poderemos melhorar, face ao atual contexto da sociedade, a história do associativismo, os respetivos apoios e enquadramento legal, bem como os desafios que impelem as associações a adaptar-se às mudanças e às necessidades das pessoas para contribuir ativamente para o desenvolvimento sociocultural, educativo e desportivo da comunidade.

Numa reflexão acerca do associativismo e a educação de adultos, marcou ainda presença o CEAD - Centro de Investigação em Educação de Adultos e Intervenção Comunitária da Universidade do Algarve, com o Prof. Doutor António Fragoso de Almeida.

Lagoa é um concelho com um forte dinamismo ao nível do movimento associativo, onde as Associações, Clubes e Instituições têm um papel ativo na sociedade, respondendo às mais variadas aspirações da comunidade seja na área do desporto, como da cultura, do recreio, da saúde, da educação, do escutismo ou da solidariedade social.

O concelho de Lagoa dispõe de um variadíssimo leque de associações que, atentas às caraterísticas do território e à particularidade da comunidade onde se encontram integradas, dinamizam inúmeras atividades de índole diversa, fomentando paralelamente a participação cívica e o envolvimento das pessoas na construção de uma sociedade mais criativa, mais equilibrada e inclusiva.

“O movimento associativo é um instrumento vital no concelho de Lagoa, atribuindo à comunidade competências de expressão social, política, ambiental, cultural, histórica, desportiva e económica. É muito importante capacitar o movimento associativo para que se possa recriar, nestes tempos tão incertos, e, desta forma, continuar a desenvolver um trabalho extraordinário”, considerou Luís Encarnação, Presidente da Câmara Municipal de Lagoa.