Decorreu na quinta-feira passada a cerimónia de instalação dos novos Órgãos Autárquicos, da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal, ao final da tarde, no Auditório Carlos Do Carmo, em Lagoa, com sala cheia.

Foram muitos os Lagoenses, autarcas, entidades oficiais, funcionários do município, familiares e amigos que assistiram à Tomada de Posse de Luís Encarnação, como Presidente da Câmara Municipal de Lagoa e dos Vereadores Anabela Correia (PS), Ana Martins (PS) e Mário Guerreiro (PS), que já vinham do anterior executivo, e ainda Rúben Palma (PS), novo elemento dos socialistas, bem como Francisco Martins (Movimento Lagoa Primeiro) e Mário Vieira (PSD).

Depois da Tomada de Posse para a Câmara Municipal, assistiram à Tomada de Posse dos elementos que irão constituir o Órgão da Assembleia Municipal, em que, mais uma vez, José Águas da Cruz (PS), será o Presidente, eleito com 17 votos “sim”, 6 votos em branco e 1 “não” e terá na Mesa da Assembleia Pedro Lobato como 1º secretário e Fátima Lopes como 2º secretário, ambos socialistas.

Durante a cerimónia, Luís Encarnação anunciou quais serão as suas prioridades e os seus compromissos com os Lagoenses, tal como já o tinha feito durante a campanha, colocando a continuação do combate à Covid-19 e a recuperação económica do concelho com a criação de emprego, como as suas prioridades. Colocou a habitação e a substituição das obsoletas condutas de água como os seus dois desígnios e o melhorar de áreas como a educação, a ação social, a cultura, o desporto, o cuidar do espaço público e a realização de obras e infraestruturas fundamentais para o desenvolvimento do concelho, como os seus compromissos.  

Quanto aos resultados que saíram das Eleições Autárquicas de 26 de setembro, que garantiram maioria absoluta ao PS, quer na Câmara, quer na Assembleia Municipal e nas Freguesias, o presidente Luís Encarnação defendeu que ficou demonstrado de forma inequívoca quem é que os Lagoenses querem à frente dos destinos do concelho e considerou que foi o reconhecimento do trabalho de quem, sobretudo nestes últimos dois anos, esteve sempre na labuta pela proteção de Lagoa e dos lagoenses.

José Águas da Cruz, no discurso que encerrou a cerimónia, considerou que os tempos que aí vêm são tempos desafiantes. Que a próxima década é decisiva para reverter a crise climática e ambiental. A consciência ambiental tem vindo a consolidar-se e a mobilizar as novas gerações, que exigem mudanças claras, para que a vida no planeta seja possível, exigências a que o Poder Local Democrático não poderá alhear-se.

Apontou o combate às alterações climáticas, às desigualdades sociais e à pobreza, que a crise pandémica pôs em evidência e agravou, como urgente e que o Poder Local Democrático tem de estar à altura dos desafios.

Regionalista convicto desde sempre, Águas da Cruz defendeu que a crise pandémica veio demonstrar a necessidade de reformular a descentralização e avançar para a Regionalização. Tal como já tinha defendido noutras ocasiões, voltou a afirmar que sem Regionalização não se cumpre a Constituição.

Para além das intervenções dos grandes vencedores da noite das eleições autárquicas, Luís Encarnação e José Águas da Cruz, também os lideres dos grupos municipais com assento na Assembleia Municipal discursaram, com a Carlota Andrade a apelar a uma maior participação na vida cívica por parte dos cidadãos e com Lurdes Alemão, do Chega, afirmando que a sua ação na Assembleia se iria pautar pelo combate à falta de confiança e à desmotivação que tantas vezes mina a capacidade de intervenção dos munícipes nos seus destinos. Jorge Ramos, do Bloco de Esquerda, salientou que é preciso continuar a defender as pessoas mais vulneráveis e que o município terá verdadeiramente de não deixar nenhum Lagoense para trás. José Inácio Marques Eduardo (PSD) afirmou que os valores da abertura, da transparência e da responsabilização da Assembleia e da Câmara Municipal serão a matriz da nossa atuação do PSD e José Alves Pinto (MLP) garantiu aceitar humildemente o papel que os Lagoenses quiseram atribuir ao Movimento Lagoa Primeiro. Por parte do PS interveio Luís Ribeiro, que salientou os resultados eleitorais alcançados pelo PS e com eles a manifestação de confiança que os Lagoenses depositaram nos seus candidatos. Reafirmou que os autarcas eleitos já deram provas, num passado recente, que estão à altura dos desafios, relembrando todo o trabalho realizado em torno do combate à pandemia covid-19.   

Tomada de Posse dos Órgãos Autárquicos de Lagoa

CÂMARA MUNICIPAL

Luís António Alves da Encarnação – PS

Anabela Simão Correia Rocha – PS

Francisco José Malveiro Martins – MLP

Ana Cristina Tiago Martins – PS

Ruben Patrício Infante Palma – PS

Mário José Costa Vieira – PSD

Mário Fernando Rodrigues Guerreiro – PS

 

ASSEMBLEIA MUNICIPAL

José Manuel Correia Águas da Cruz – PS

Pedro Alexandre Triberes Barradas de Souza Lobato – PS

Maria de Fátima da Silva Valdire Lopes – PS

José Joaquim Barroso Alves Pinto – MLP

José Inácio Marques Eduardo – PSD

Luís Pedro Vieira Ribeiro – PS

Carlos Manuel dos Reis Ramos – PS

Maria Licínia Mendes Lourenço – PS

Rute Alexandra Barroso Sobreira Mota – MLP

Maria de Lurdes Rego Alemão – CH

Joaquim José Martins Cabrita – PSD

Ricardo Jorge Braz da Silva – PS

Carla Isabel de Jesus Serol – PS

Diamantino José Ernesto Ruivinho – MLP

Elsa Maria Vieira Mendes – PS

Telma Isabel Alberto Viana – PSD

Jorge Manuel Albano da Encarnação Ramos – BE

Tiago Manuel Valdire Lopes – PS

Carlota Dolores Cardoso Andrade – CDU

Vitor Manuel Gonçalves dos Santos – PS

 

PRESIDENTES DE JUNTA E UNIÃO DE FREGUESIA

(também com assento, por inerência, na AM)

Joaquim João Lopes Paulo – União de Freguesias de Lagoa e Carvoeiro – PS

Joaquim Dimas Neto Varela – União de Freguesias de Estombar e Parchal – PS

Luís José Soares Bentes – Junta de Freguesia de Porches – PS

Luís Filipe dos Santos Alberto – Junta de Freguesia de Ferragudo – PS

 

 

 

Pin It

Candidaturas on line - Apoios escolares

Candidaturas on line Apoios Escolares

COVID-19: página oficial

Lagoa 2020 - Cidade Sustentável

Valores de 24/11/2021