Joana Sofia

Joana Frias

Médica Interna de Medicina Geral e Familiar
Portimão

Vacinação (PNV e extra-PNV?)

Os programas de vacinação universais promovem a equidade, proporcionam igualdade de oportunidades, protegem a saúde e previnem doenças, independentemente do género, da etnia, da cor da pele, da religião, do estatuto social, dos rendimentos familiares ou das ideologias. Este é o princípio seguido pelo Programa Nacional de Vacinação, em Portugal.

O PNV aplica-se, gratuitamente, a todas as pessoas presentes em Portugal. O esquema de vacinação recomendado tem como objectivo obter a melhor protecção, na idade mais adequada e o mais precocemente possível.

A vacinação no primeiro ano de vida deve ser escrupulosamente cumprida nas idades recomendadas, sem atrasos. O primeiro ano de vida é a idade de maior vulnerabilidade, requerendo imunização precoce, para evitar as respectivas doenças que podem ser graves.

Todas as vacinas autorizadas no mercado europeu têm um elevado grau de segurança, eficácia e qualidade. Por estas razões, são raras ou muito raras as reacções adversas graves comprovadamente associadas às vacinas, bem como as condições que constituem precauções ou contraindicações à vacinação.

A vacinação de grupos de risco ou em circunstâncias especiais deve ser efetuada sob orientação e prescrição do médico assistente, pela eventual necessidade de estabelecer esquemas personalizados. Cada doente pode apresentar especificidades/necessidades próprias relativas à vacinação que se podem alterar ao longo da sua vida.

Para além das vacinas que compõem o PNV, há ainda outras vacinas que podem ser adquiridas e administradas em determinadas situações, as vacinas extra-PNV. No entanto, qualquer decisão de administração de vacinas deve ser discutida com o respectivo Médico Assistente, de forma a esclarecer o benefício e a existência de eventual contra-indicação para o efeito.