O Município de Lagoa integra o projeto Cidadania 4.0. com o objetivo de facilitar a participação dos cidadãos na vida pública a começar pela comunidade escolar.

Reuniu-se a 19 de junho, em meio digital, uma Assembleia de Jovens de Lagoa que contou com cerca de 130 intervenientes. A iniciativa aconteceu no âmbito do projeto «Cidadania 4.0» desenvolvido pela Associação Discurso Paralelo através da dinamização da plataforma My Polis.

Entre os participantes estiveram estudantes, professores/as, membros da equipa My Polis e a vereadora da Câmara Municipal de Lagoa com os pelouros da educação e da cidadania, Ana Martins.

As propostas apresentadas pelos jovens priorizaram temas tão diversos como «Lixo e os Ecopontos», «Racismo e Preconceito», «Escola: materiais, oferta formativa, infraestruturas, «Lagoa: espaços, infraestruturas e respostas».

A vereadora Ana Martins congratulou-se com a diversidade e qualidade das propostas apresentadas e destacou a importância do envolvimento direto dos jovens nas mudanças do concelho. Sublinhou ainda a disponibilidade da autarquia para desenvolver algumas das propostas apresentadas por via da sua integração no Plano de Atividades do Município de Lagoa.

Esta Assembleia resulta de um trabalho que vem sendo construído com o envolvimento de 7 turmas do 3ºciclo dos dois Agrupamentos de Escolas do concelho de Lagoa (AERA e ESPAMOL), a assessoria da equipa da My Polis e a coordenação do Município de Lagoa. Para este processo tem sido determinante o papel dos/as professores/as que permitiram transformar a sala de aula numa academia de participação durante 8 semanas do ano letivo de 2020.

O propósito é promover competências para uma cidadania consciente e autorregulação comportamental dos jovens, através de um processo de gamificação. Os estudantes têm assim a oportunidade de tomar parte no processo de conceção, planeamento e decisão sobre melhorias na comunidade escolar e no concelho onde vivem.